sábado, 26 de setembro de 2015

Menos lixo no fast food

Comer em lojas fast food significa produzir uma imensidão de lixo. Comer na minha loja também, já me tentei redimir na postagem Eu e a minha culpa, a minha consciente culpa.

Passo número um para reduzir este lixo é deixar de ir a cadeias de fast food, bem devo confessar que com o avançar da idade e o refinamento do paladar, isso tem sido tarefa fácil, quase sempre que como num centro comercial prefiro comida de faca e garfo, copos de vidro e pratos de loiça. Mas há sempre aqueles dias, aqueles dias que vem um desejo de comer "porcaria". E normalmente essa porcaria vem embrulhada em papel, em copos de plástico, palhinhas, etc, etc.

O mais ecológico que eu poderia fazer era começar a levar o meu copo de vidro e pedir para encher, mas não me parece que o vá fazer (ainda sou um bocado envergonhada para isso). Logo para reduzir alguns gramas de lixo, o que decidi foi recusar a palhinha (já há muito anos que tinha deixado de usar em restaurantes com copos de vidro, agora estendi aos copos de plástico e ao fast food) e sempre que consigo digo ao empregado para não pôr aquela tampinha de plástico no copo. Quando peço água também não aceito o copo, mas já faço isso há um tempo.

Bem sei que não é uma redução de lixo significativa, nem mesmo que faça isto um ano inteiro, mas sempre é menos um bocadinho de lixo.

Outra alteração que eu fazia de livre agrado era deixar de usar os toalhetes, acho um desperdício. Lembro-me de na cantina da faculdade não tirar toalhete, comia só em cima do tabuleiro, mas normalmente em restaurantes aquilo já está sempre posto. Também acho que era escudado os talheres virem embrulhados naquele papel. Sim para mim os restaurantes em que vamos ao balcão pedir o que queremos seriam réplicas de cantinas de faculdade. Aliás para quem não sabe e trabalha ali no Parque das Nações existe uma cantina do IPJ (restaurante ICA) que é mesmo tipo cantina universitária. Comida diversificada e a preço acessível, mas claro não esperem que seja um restaurante de luxo, nem de gama média.

Acho que com o avançar dos dias, ainda vou pensando em mais formas de produzir menos lixo, é um processo gradual. Já agora em jeito de balanço a minha decisão Recusar sacos de plástico, papel do que for tem corrido relativamente bem, volta e meia aceito algum, mas tenho recusado mais do que aqueles que aceito. A minha decisão de Não secar as mãos em casas de banho públicas tem obviamente corrido muitíssimo bem. Nunca mais sequei as mãos, não custa nada.

Já agora para quem não vive sem palhinhas e até as compra para ter em casa, encontrei no Alibaba estas em aço inoxidável, não sabia que isto existia.

Palhinhas em aço inoxidável
Imagem retirada de http://portuguese.alibaba.com/p-detail/stainless-steel-bent-straw-stainless-steel-drinking-straws-cleaner-curved-shaped-metal-straws-for-cocktail-60190945991.html

Para terminar, uma pequena acção que penso sempre que já toda a gente faz, mas depois tenho dúvidas que realmente o façam: não peçam o talão do multibanco, excepto quando precisam realmente dele. É que além da produção de mais lixo desnecessário, a maior parte dos multibancos não tem caixote de lixo ao lado e depois há sempre pessoas como eu que quando apanham talões de multibanco em cima da caixa, os trazem para pôr na reciclagem. É verdade posso estar a ver quanto dinheiro têm na vossa conta.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...